Comerciante é libertado em SP depois de pagar resgate

Um comerciante seqüestrado na semana passada em Pirituba, na zona oeste, foi libertado na manhã de hoje, na zona sul, após o pagamento do resgate. Policiais miltares do 27º Batalhão informaram que por volta das 8h30, foram acionados pelo Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). Era para socorrer a vítima encontrada amarrada, pés e mãos, nos fundos de um terreno ao lado do posto de gasolina da Avenida Senador Teotônio Vilela, 4. 906, no bairro do Grajaú. O comerciante que não teve seu nome revelado pela polícia, a pedido da família, estava debilitado, assustado, e foi levado pelos soldados ao Pronto Socorro do Jabaquara. Depois de medicado foi apresentado no plantão do 101.º Distrito Policial, no Jardim das Embúias, e em seguida aos delegados da Divisão Anti-Seqüestro (DAS) onde prestou um longo depoimento. Ele contou que seguia para o trabalho, na sexta-feira, quando foi seqüestrado por quatro homens. Os criminosos o levaram para uma casa que serviu de cativeiro e passaram a telefonar para sua família. O primeiro pedido para libertá-lo foi de R$ 1 milhão. Depois de dois dias de negociação, o valor diminuiu e os seqüestradores concordaram com o que os familiares do seqüestrado ofereceram.O pagamento do resgate ocorreu na madrugada de hoje e o valor não foi revelado. Os policiais da DAS acreditam que com as informações da vítima poderão identificar e prender os seqüestradores em pouco tempo.A Secretaria da Segurança Pública informou que de janeiro a março deste ano ocorreram, no Estado, 22 seqüestros: 14 nacapital, três na Grande São Paulo e cinco no Interior. Na comparação do 1.º trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado, o seqüestro caiu 44% na Capital e 40% na Grande São Paulo.

Agencia Estado,

04 de maio de 2004 | 19h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.