Comerciante é preso vendendo carne de cavalo

Fiscais da Vigilância Sanitária e policiais da delegacia do 6º DP fecharam, ontem, um matadouro clandestino, na periferia de Maceió, que estava matando cavalos para comercializar a carne do animais, nos bairros pobres da capital alagoana. O dono do estabelecimento, Milton José dos Santos, foi preso em flagrante, junto com mais quatro funcionários incluindo dois menores. Os funcionários foram liberados, mas o comerciante continua preso. A Vigilância Sanitária informou que foram apreendidos no matadouro mais de 30 quilos de carne de cavalo, que seria colocada à venda para o consumo humano. A carne de cavalos roubados era produzida em um galpão sem as mínimas condições de higiene. Segundo um dos fiscais da Vigilância Sanitária, Ricardo Walker de Lima, a carne apreendida era transformada em bifes e lingüiça, para ser vendida como se fosse de origem bovina. Toda a carne apreendida foi incinerada nesta segunda-feira. A Vigilância Sanitária ainda desconhece que quantidade de carne de cavalo foi comercializada e consumida por moradores do bairro do Jacintinho, de onde partiu a denúncia anônima que originou a batida policial e resultou no fechamento do matadouro clandestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.