Comerciante recebe cheque falsificado no RJ

O dono de uma loja de livros e CDs, Sergio Lima Nascimento, foi vítima de estelionato com cheque falso: recebeu um cheque do Banco do Brasil de uma conta verdadeira, mas com nome e CPF de outra pessoa que não o titular. A fraude passou despercebida pelos funcionários do banco, que devolveu o cheque por falta de fundos.O pagamento era de R$ 313,20, mas Nascimento disse que o banco se recusou a arcar com o prejuízo. O Banco do Brasil informou que investiga o caso e garantiu que Nascimento não será lesado.Os dois bancos de dados de proteção ao crédito acessados pelo comerciante no ato da compra não acusaram irregularidade. O nome do suposto titular da conta e o CPF batem, e nada consta contra essa pessoa."É impossível identificar que é falso, nem os funcionários perceberam. Estamos totalmente desprotegidos ao receber cheques, já que eles não são confeccionados em papel especial", disse Nascimento. No banco, descobriu-se que a conta era de um cliente real, mas não o que consta na folha de cheque. O comerciante aguarda ressarcimento do Banco do Brasil. Ele ainda não procurou a polícia. A lei 7.357, de 1985, diz que o banco responde pelo pagamento de cheque falso, falsificado ou alterado, salvo se o apresentante, correntista ou beneficiário for culpado pela adulteração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.