Comerciante reconhece ladrões e é morto com 9 tiros em Ibiúna

Filhos do caseiro são presos após participação em assalto a chácara no interior paulista

José Maria Tomazela, Estadão

22 Abril 2013 | 18h56

SOROCABA - O comerciante Carlos Alberto de Godoy, de 66 anos, foi morto com nove tiros depois de reconhecer os filhos do seu caseiro entre os ladrões que tinham invadido sua casa, na madrugada de domingo, em Ibiúna, região de Sorocaba. Godoy foi dominado por seis assaltantes encapuzados quando entrava com o carro em sua chácara, no

bairro do Colégio, zona rural do município.

O caseiro da propriedade também foi rendido, teve os pés e as mãos amarrados e ficou preso num dos quartos. Os bandidos estavam em um carro e duas motos, segundo o caseiro contou à polícia. O comerciante também foi amarrado e passou a ser espancado, enquanto os criminosos exigiam dinheiro. O dono da propriedade entregou R$ 1,6 mil e um revólver calibre 38 aos bandidos, que ainda saquearam a casa, levando televisores, celulares, aparelhos eletrônicos e bebidas

importadas. Em seguida, Godoy foi levado em seu próprio carro a um eucaliptal, já no município de Piedade, e executado com nove tiros. Um dos filhos do caseiro retornou à propriedade e desamarrou o pai.

Ele contou que tinha visto a chegada dos ladrões e se escondera no mato. A polícia apurou, no entanto, que o rapaz e seu irmão participaram do assalto, no qual o próprio pai foi rendido. Eles decidiram executar o comerciante porque o capuz de um deles caiu e a vítima o reconheceu. Outros dois bandidos moram em casas vizinhas. Os quatro foram presos e levados para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Capela do Alto. Eles vão responder por latrocínio - roubo seguido de morte. Outros dois integrantes do bando já foram identificados e estão foragidos.

Mais conteúdo sobre:
Crime latrocínio Ibiúna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.