Comércio da região também tem feira do rolo

Não é só de crack que vive o comércio na cracolândia. A venda de celulares, iPods, tênis, sapatos e camisetas também corre solta a preços irrisórios nos pontos mais movimentados da venda de drogas. Um dos vendedores tem uma banca improvisada na Rua Guaianases. Os demais são sacoleiros. Os compradores vão aparecendo. É a feira do rolo. Os moradores da região suspeitam que sejam produtos roubados ou resultado da troca deles por pedras de crack. A reportagem flagrou três jovens entregando tênis em troca de droga. Aparentando não mais que 16 anos, uma garota de jeans e banho tomado briga com um viciado. Ela havia vendido um iPod por R$ 50 e não tinha recebido o valor total. "Você só me deu R$ 40. Quero o resto já!" Um drogado passa oferecendo um celular, aliás, vários deles têm celulares presos ao corpo, inclusive as crianças. Os preços dos aparelhos, segundo os moradores, variam de R$ 10 a R$ 50. A banca só é desmontada quando passa uma viatura da Polícia Militar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.