Comércio proíbe entrada de clientes com rosto coberto

Esta semana cinco mil cartazes elaborados pela Câmara de diretores Lojistas foram colocados em todos os estabelecimentos comerciais de Botucatu, a 225 quilômetros de São Paulo, como forma de evitar furtos e roubos cometidos pessoas cujas vestes ou assessórios dificultem a identificação - "É proibida a entrada de pessoa utilizando capacete, gorro ou qualquer tipo de cobertura que encubra a face". A medida é determinada pela lei municipal nº 4745, de autoria do vereador Reinaldo Mendonça Moreira (PL), em vigor desde novembro.Moreira explica que há muito tempo a cidade vem enfrentando assaltos praticados por motoqueiros escondidos sob o capacete, mas nada podia fazer. "Encontramos embasamento no artigo 5º da Constituição - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei - para fazer a lei, que agora autoriza os comerciantes e proibir a entrada ou permanência nos seus estabelecimentos de quem estiver com o rosto coberto", diz o vereador, lembrando que aquele que se negar a tirar o acessório pode ser até considerado suspeito.A estatística da Polícia Militar revela que na última semana foram registrados cinco assaltos onde os autores estavam com o rosto coberto pelo capacete. Mesmo com a existência de câmeras de monitoramento e gravação das imagens, fica difícil a localização dos ladrões.Embora ainda desconhecida por muita gente - daí a providência do CDL e Polícia Militar com a distribuição dos cartazes informativos - a restrição não encontra muitos críticos. Marcos José Menezes, mototaxista, afirma que "não custa nada tirar o capacete quando entrar em lojas e postos". A estudante Maria Clara Boni, que também utiliza moto, diz que o desconforto será compensado pelo aumento da segurança. Para poder utilizar os benefícios da lei, os estabelecimentos terão de manter a placa informativa na fechada. Os que não o fizerem, estarão sujeitos a multa de R$ 700.PostosHá cerca de dois meses, mesmo sem a existência de lei específica, os sindicatos dos Frentistas e do Comércio de Combustíveis instalaram placas nos postos de Bauru, informando que só serão abastecidas as motos cujos motoqueiros retirarem o capacete assim que chegarem à bomba. A providência reduziu o número de assaltos e deverá ser aplicada em outras cidades da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.