Comissão abre brecha para venda e porte de armas

Por 29 votos a 2, a Comissão de Segurança Pública da Câmara aprovou hoje o estatuto do desarmamento, mas, segundo o líder do PT na Câmara, Nelson Pellegrino (BA), o texto aprovado contém brechas que liberam as regras sobre porte e posse de armas. Ele admitiu que houve falha na articulação do governo e que a base aliada tentará reverter estes pontos na Comissão de Constituição e Justiça ou no plenário.O deputado Alberto Fraga (PMDB-DF), coronel reformado da Polícia Militar, ficou satisfeito. "Está garantido o direito do cidadão de portar armas, a sociedade sai vitoriosa, com um texto coerente", afirmou. Falta a comissão votar um destaque propondo a supressão do artigo que propõe a realização de um referendo popular, em 2005, para se saber se a população quer ou não a proibição da comercialização de armas de fogo e munição. A votação foi interrompida para os parlamentares comparecerem ao plenário da Câmara e votarem a emenda da reforma tributária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.