Comissão agora investiga marido de filiada ao PMDB

Numa ação para "despetizar" o caso, a comissão da Receita Federal que investiga a quebra dos sigilos dos tucanos pediu ontem que seja apurada a atuação do escritório de contabilidade do marido da servidora da agência de Mauá Ana Maria Caroto Cano, que seria filiada ao PMDB. Entretanto, a sindicância não avançou na apuração dos serviços prestados pelo contador petista Antonio Carlos Atella Ferreira.

Leandro Colon, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2010 | 00h00

Na manhã de ontem, a comissão da Receita, com base em material da imprensa, determinou que sejam apuradas as informações de que o empresário José Carlos Cano Larios, marido de Ana, usaria a agência de Mauá para agilizar processos fiscais. Com isso, a Receita tenta reunir elementos para sustentar a ideia de crime comum e se distanciar de motivações políticas ligadas à campanha de Dilma Rousseff (PT). Ana Maria tinha acesso à senha usada nas quebras de sigilo. Ela se diz inocente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.