Comissão de deputados avalia estragos da chuva no NE

Uma comissão de 12 deputados federais iniciou hoje, na Bahia, uma visita de avaliação dos estragos provocados pelas chuvas nos estados do Nordeste. Pela manhã os parlamentares se reuniram com o governador Paulo Souto (PFL) e o presidente da União das Prefeituras da Bahia (UPB) Alberto Muniz que apresentaram um quadro da destruição causado pelos constantes temporais que castigam o Estado desde o inicio do ano.São 100 municípios que decretaram situação de emergência onde há cerca de 15 mil pessoas desabrigadas. Pelo menos 1.600 casas foram totalmente destruídas, 4.500 parcialmente e há três mil em risco de desabamento. As enchentes romperam 52 barragens, destruíram milhares de quilômetros de estradas, derrubaram pontes, isolando inúmeros municípios.As chuvas tinham dado uma trégua, mas voltaram com intensidade nos últimos dias na região sisaleira alagando o município de Ribeira do Pombal, e no oeste, atingindo principalmente a cidade de Barreiras onde ontem milhares de alunos não puderam ir para a escola e muita gente ficou impossibilitada de chegar ao trabalho.As autoridades estaduais avaliam que somente na recuperação de estradas será preciso gastar no mínimo R$ 5 milhões. "Tenho esperança de que com o testemunho dessa comissão a gente possa sensibilizar o governo federal", disse o governador Souto.O deputado Inaldo Leitão (PL-PB) que integra o grupo dos parlamentares, acusou o Planalto de agir "muito lentamente" num caso emergencial como o dos estados nordestinos. "Vamos usar essas informações sobre os estragos para preparar um relatório e entregar ao presidente da República", disse. A intenção dos deputados é pressionar o Planalto a liberar as verbas necessárias para socorrer as populações atingidas.De Salvador, a comissão seguiu para o município baiano de Curaça, no norte do Estado, um dos mais castigados pelas enchentes. O próximo local a ser visitado é Sergipe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.