Comissão de Frente se destaca no desfile da Rosas de Ouro

A escola de Samba Rosas de Ouro entrou no sambódromo do Anhembi às 4h10 deste domingo para cantar "Tellus Mater, o cio da terra". Com o samba-enredo que falava da criação do Universo, o carnavalesco Fábio Borges busca sair do jejum de 12 anos sem títulos do Grupo Especial.Quase 4 mil componentes divididos em 23 alas, e 5 carros alegóricos foram animados por 280 ritmistas. A bateria, que representou a criação da vida, passa por um teste em 2007. No ano passado, a escola liderava a contagem dos votos até o último quesito apurado, justamente a bateria. Coincidência ou não, a Rosas entrou na Avenida este ano com novo mestre, Tornado, que foi da X-9 Paulistana. Integrante da Rosas há sete anos, a modelo Ellen Roche estreou no Anhembi como madrinha de bateria.A comissão de frente emocionou o público ao representar o quadro "Natureza Morta", pintado por Candido de Portinari, em 1930. Os bailarinos se passaram de migrantes nordestinos. O que chamou a atenção foi o cuidado das maquiagens. A escola da Freguesia do Ó chamou a atenção com a ala das passistas. As belas meninas saíram do meio da bateria. O terceiro carro alegórico trouxe uma cena de amor com duas esculturas de 12 metros de altura, que representam o fecundado a terra. Gotas de água desenhadas no peito do casal simbolizavam o nascimento da chuva.Outro destaque foi a presença do primeiro astronauta brasileiro, Marcos Pontes, no quarto carro "A terra é azul na Rosas de Ouro". A última ala retratou um assunto do momento, o aquecimento global.O carro que trazia dinossauros tentou explorar a sonoplastia. A experiência não surtiu o efeito desejado pelo barulho do sambódromo. Os grunhidos ficaram incompreensíveis em algumas partes do trajeto.A Rosas contou com grande torcida nas arquibancadas. Uma faixa de apoio se destacava no meio dos torcedores. "Greenpeace e Rosas de Ouro entrando no clima para salvar o Planeta."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.