Comissão estadual analisará segurança em Campinas

O governador Geraldo Alckmin anunciou a criação de um grupo de trabalho para estudar e apresentar, num prazo de dez dias, um conjunto de medidas imediatas e de médio prazo para melhorar a segurança pública em Campinas, terceira maior cidade do Estado, localizada a 90 quilômetros da capital. Alckmin recebeu hoje a prefeita de Campinas, Izalene Tiene (PT), e um grupo de deputados federais e estaduais da região. A prefeita entregou a ele documento com uma série de reivindicações na área da segurança. Entre os pedidos, está a solicitação de "empenho pela imediata identificação dos assassinos do prefeito Antonio da Costa Santos", morto no último dia 10 de setembro. Amanhã, serão definidos os nomes que irão integrar a comissão de trabalho. O representante do governo paulista será o secretário de Segurança, Marco Vinício Petreluzzi. Os demais participantes virão da Prefeitura de Campinas, da Câmara Municipal de Campinas e da comunidade. "Foi uma reunião proveitosa, ouvimos as reivindicações da cidade e vamos colaborar com o que for possível para o governo estadual", disse Alckmin. O governador destacou que a polícia estadual tem feito um grande esforço para elucidar o crime. "Há determinados crimes que se esclarecem em 24 horas, outros, infelizmente, você não tem os dados necessários para fazer uma afirmação categórica", disse. Segundo Alckmin, a reserva da polícia tem como objetivo não prejudicar as investigações. "A polícia tem trabalhado com absoluto empenho." "Não posso dizer que saio entusiasmada do encontro, mas estou confiante no trabalho da polícia de São Paulo", disse Izalene. Alckmin não descartou o auxílio da Polícia Federal no caso, se necessário. "A responsabilidade jurídica é da polícia estadual, mas tudo o que puder ajudar a esclarecer o crime é importante", disse. Na reunião de hoje, também foi avaliada a possibilidade de estabelecimento de parcerias entre o Estado e a cidade de Campinas, especialmente na área social, e a reforma e ampliação do aeroporto de Viracopos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.