Comissão inicia inspeção de Febens

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara iniciou, em Belém (PA), uma inspeção detalhada sobre o funcionamento das instituições que abrigam menores no País, as Febens. O resultado da investigação será utilizado para reforçar o pedido de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar denúncias de maus tratos, mortes, fugas, superlotação e corrupção nas Fundações do Bem-Estar do Menor (Febens), anunciou o presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputado Marcos Rolim (PT-RS).A inspeção também será feita nas Febens de Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), São Paulo e no Rio Grande do Sul. Segundo Rolim, a idéia do trabalho é traçar um raio-X dessas instituições de amparo ao menor que possa ajudar a reverter a situação calamitosa em que vivem atualmente. Para o deputado, o modelo atual de funcionamento das Febens é "desumano" e precisa ser revisto com urgência. Rolim afirma já ter reunido mais de 200 assinaturas favoráveis à instalação da comissão de investigação. O regimento interno da Câmara exige um mímino de 171 assinaturas para encaminhar um pedido de CPI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.