Comissão não encontra irregularidade em prefeitura do PT

O relatório final da Comissão Especial de Inquérito (CEI) criada para apurar irregularidades cometidas pela prefeita de Campinas Izalene Tiene (PT) sugere o arquivamento do caso e descarta a abertura de uma Comissão Processante, que poderia resultar em cassação. O vereador Paulo Oya (PPS), relator da CEI, entregou o documento aos vereadores na quinta-feira. Na próxima semana está prevista uma avaliação do relatório pelos membros da Comissão antes de ele ser levado à votação na Câmara, que decide pelo arquivamento ou não do caso.Um relatório preliminar já havia sido entregue há duas semanas pelo vereador, também indicando que a prefeita não havia cometido ?infração político-administrativa?.Izalene foi acusada de permitir a instalação de um bingo a menos de 500 metros de outro, o que fere a legislação municipal, e de autorizar a instalação de antenas celulares sobre caixas d?água da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A. (Sanasa). A lei municipal determina que a instalação somente ocorra depois de autorização dos moradores do bairro.O relatório final tem 30 páginas e aponta que, pelos documentos obtidos, a prefeita não pode ser acusada de ter cometido irregularidades que justifiquem a abertura de uma Comissão Processante de Inquérito.O vereador Sebastião dos Santos (PFL), nomeado presidente da CEI, acredita que o caso deverá ser encerrado na Câmara, mas lembrou que preferiu transferir a responsabilidade à Justiça. Ele entrou com uma ação popular no Tribunal de Justiça do Estado para apurar as acusações e pedir que o alvará do bingo seja cassado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.