Comissão veta símbolo da Abril em Pinheiros

A Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU), criada para atuar como uma espécie de juiz nas dúvidas relacionadas à aplicação da Lei Cidade Limpa, decidiu ontem determinar a retirada do símbolo da Editora Abril - uma árvore verde - do prédio da empresa da Marginal do Pinheiros, em Pinheiros, zona oeste. ''''O símbolo da Abril no prédio de Pinheiros não tem referência cultural, paisagística ou histórica, porque foi instalado em 1999. Também levamos em conta que o símbolo deve ser retirado porque está instalado em um prédio que não é de propriedade da editora'''', disse Regina Monteiro, diretora da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) e presidente da CPPU. Os 13 integrantes da CPPU também decidiram adiar a decisão a respeito do símbolo da Abril colocado no prédio da gráfica da editora, que fica na Marginal do Tietê, no bairro da Freguesia do Ó, zona norte. Os integrantes da CPPU vão analisar argumentos apresentados pela editora. ''''Ainda estamos divididos, mas a tendência é decidir pela manutenção. O símbolo, no prédio desde 1964, foi pioneiro na região e serviu como referência na Marginal'''', disse Regina. CONJUNTO NACIONAL No dia 12, a CPPU determinou a retirada de outra logomarca famosa, a do Banco Itaú, do relógio luminoso instalado no alto do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista.

O Estadao de S.Paulo

27 Setembro 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.