Comitiva deve ficar na Antártida até quarta, diz deputado

Mau tempo impede avião da FAB de pousar nesta segunda-feira para buscar a delegação brasileira

28 de janeiro de 2008 | 15h26

Segundo informações do deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), a comitiva que está retida na Antártida dificilmente conseguirá voltar para o Brasil ainda nesta segunda-feira, 28. Segundo o deputado petista, o mau tempo impede um avião da Força Aérea Brasileira de pousar para buscar a delegação integrada por ele e mais 12 deputados federais. A nova previsão, segundo o parlamentar, é de que a neve dê uma trégua apenas na quarta-feira.   Casagrande e os deputados foram à Antártida a convite da Marinha do Brasil, por meio da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM), para acompanhar o trabalho desenvolvido na Estação Antártida Comandante Ferraz, sede das atividades brasileiras do Programa Antártico Brasileiro (Proantar). A finalidade dessa iniciativa foi a de incentivar a troca de informações e o apoio logístico à estação.   Apesar dos transtornos para retornar ao Brasil, Casagrande ressaltou que a visita à base brasileira na Antártida foi positiva. O senador disse que os parlamentares conheceram, de forma detalhada, o trabalho de pesquisa realizado naquele continente. Na sua opinião, ficou comprovada a importância do programa da Marinha.   "Estamos tranqüilos e bem instalados aqui (na base chilena Presidente Eduardo Frei). A demora não tira o brilho da visita, que foi excepcional", observou Casagrande.   Além de Casagrande, integram a comitiva de parlamentares o 2º vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados, deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), e os deputados Moreira Mendes (PPS-RO), Lelo Coimbra (PMDB-ES), Colbert Martins (PMDB-BA), Edmilson Valentim (PCdoB-RJ), Paulo Teixeira (PT-SP), Jorginho Maluly (DEM-SP), Maria Helena (PSB-RR), Fábio Ramalho (PV-MG), Luciano Pizzatto (DEM-PR), Fernando Chucre (PSDB-SP) e Vinicius Carvalho (PTdoB-RJ).   O senador informou que a delegação também visitou o Navio de Apoio Oceanográfico Ary Rongel, responsável pela coleta, em alto mar, de materiais que dão sustentação às pesquisas da estação brasileira na Antártida. Esses estudos, explicou Casagrande, priorizam as áreas de mudanças climáticas globais e de previsão do tempo.   Na opinião do senador, o governo brasileiro deve dar continuidade ao Proantar e, para isso, os parlamentares deverão oferecer apoio a medidas que visem à destinação de recursos orçamentários para o programa. O Ministério da Ciência e Tecnologia, lembrou o senador, destinou "bons investimentos" ao Proantar durante o ano de 2007. Para os parlamentares que visitaram o programa na Antártica, pelo menos esses investimentos devem ser mantidos, disse Casagrande.

Tudo o que sabemos sobre:
AntártidaProantarRenato Casagrande

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.