Como agir na seção

Proibido

, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2010 | 00h00

Fazer boca de urna é crime passível de prisão em flagrante. É proibida também a distribuição de material de propaganda ou manifestações que possam influir na decisão de outros eleitores

Comícios e reuniões públicas no dia da eleição e em até 48 horas antes do pleito.

Aceitar ou oferecer camisetas, bonés ou qualquer brinde de campanha que traga o nome e o número dos candidatos

votar sem estar regularmente inscrito na Justiça Eleitoral. Se você faltou a três eleições consecutivas e não justificou a ausência, seu título foi cancelado

A venda de bebidas alcóolicas e o consumo em locais públicos depende de resoluções das secretarias de segurança pública dos Estados. Em São Paulo, não há proibição

Permitido

Levar "cola" com o nome e o número dos candidatos anotados em um papel para evitar erros. Há um modelo na página ao lado, que pode ser recortado pelo eleitor.

Pedir ajuda ao mesário, desde que este não interfira no voto. De acordo com as normas do TSE, o eleitor não pode ser acompanhado até a cabine de votação por nenhum funcionário da Justiça Eleitoral

Entrar na seção eleitoral com celular ou aperelho de rádio-comunicação, desde que desligado.

Apresentar a carteira de identidade ou outro documento oficial com foto como a carteira de motorista , desde que o nome do eleitor conste no caderno de votação da seção eleitoral

O analfabeto pode usar cartelas perfuradas e demais instrumentos que o ajudem a digitar os números dos candidatos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.