Comparsa de Andinho se entrega e liberta criança

Policiais do Deic de São Paulo e do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) de São José dos Campos conseguiram prender o seqüestrador Anderson Manzini, na cidade de Caçapava, no Vale do Paraíba, a 110 quilômetros de São Paulo.A prisão aconteceu por volta das 22h15 desta segunda-feira e contou com o apoio de vinte policiais militares do Vale do Paraíba. O bandido, que pertence à quadrilha de Vanderson de Paula Lima, o Andinho, mantinha uma criança refém desde as 19 horas.A polícia investigava a presença de Manzini em Caçapava há um mês. ?Ele vinha com freqüência à Caçapava à casa de amigos?, informou o delegado seccional de São José dos Campos, Roberto Monteiro.Na noite desta segunda-feira, Manzini chegou à cidade por volta das 18 horas. ?Depois de uma hora, resolveu sair da casa onde ficava, na rua Antonio Ozório Bueno e foi flagrado pela polícia?, contou o delegado.De frente para os policiais, Manzini tentou fugir, pulando de um telhado para outro. Ao perceber a presença de várias viaturas da PM, Garra e Deic, ele invadiu uma casa vizinha e rendeu uma criança, mantendo-a refém para se defender da ação da polícia.O drama do menino L., de 11 anos, que ficou com uma arma apontada para sua cabeça, durou mais de três horas. Segundo o delegado seccional de São José dos Campos, Manzini se entregou depois da chegada de seu advogado. Ele não soube informar o nome do advogado que veio de São Paulo.Antes de libertar a criança, o bandido ainda deu três tiros na parede do cômodo onde mantinha o menino como refém. Ele é acusado de ter matado a dona-de-casa Rosana Rangel Melotti, de 51 anos, em frente à sua própria casa, em Campinas, em janeiro deste ano. Manzini está sendo levado a São Paulo para prestar depoimento no Deic.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.