Composição terá ligação entre vagões

Os trens da Linha 4-Amarela estão sendo construídos na Coreia do Sul, por um consórcio formado pelas empresas Siemens e Hyundai-Rotem. Esse novo veículo não segue nenhum modelo já existente. Trata-se de um projeto exclusivo desenvolvido especialmente para a Linha 4, com design alemão e cujo layout está em conclusão.A maior novidade é o sistema driverless, que permite a operação sem a presença do condutor dentro do trem. Todas as funções são comandadas e controladas diretamente do Centro de Controle Operacional, de onde funcionários traçam os planos de rota para cada trem e realizam operações remotas. A operação é automática e permite maior precisão de velocidade e de intervalo entre as composições, segundo informações do Metrô. Mas é temida pelos metroviários, sob suspeita de provocar desemprego.Outra novidade dos novos trens é que os passageiros poderão circular livremente entre os carros. Os atuais trens do metrô nas outras linhas não têm comunicação entre os carros. As saídas de emergência estão instaladas na frente e no final de cada composição. Essas saídas facilitarão a escapada de usuários em casos de problemas tanto dentro dos túneis como nas estações, que terão portas de plataformas de vidro, para proteger o usuário no embarque e desembarque. Tais portas são acionadas quando a composição para na plataforma e abrem juntamente com as dos trens. A alimentação elétrica de composições será feita por uma rede no teto dos túneis e das estações, o que tira a energia elétrica dos trilhos. Isso é fator importante de segurança para os usuários, ressaltam os diretores do Metrô, pois o trilho fica desenergizado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.