Compradores de última hora lotam comércio

Só pelos shoppings passaram ontem cerca de 2 milhões de pessoas

Camilla Rigi e Charlise Morais, O Estadao de S.Paulo

24 de dezembro de 2007 | 00h00

No último dia para comprar presentes e ingredientes para a ceia do Natal, o paulistano lotou shoppings, mercados e a Rua 25 de Março. Segundo a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), cerca de 2 milhões de pessoas passaram ontem pelos 70 centros comerciais da capital. Anteontem, foram 3,7 milhões. O movimento começou logo cedo. Segundo Nabil Sahyoun, presidente da Alshop, nos shoppings Interlagos e Aricanduva havia gente esperando antes mesmo da abertura. "Como hoje (ontem) muita gente não trabalha, é normal que os shoppings mais cheios sejam os mais próximos da população de baixa renda. Quem tem maior poder aquisitivo costuma comprar antes para poder viajar."Cerca de 700 mil pessoas lotaram ontem de manhã a Rua 25 de Março, no centro. Incluindo alguns comerciantes. Abdala Saba, de 40 anos, por exemplo, é dono de uma loja de artesanatos na região. Mas ontem fechou as portas para comprar presentes. "O público que veio à 25 de Março hoje não é o meu. Se mantivesse a loja aberta, não venderia nem compraria."Já no Brás, as ruas principais estavam tranqüilas. Quem foi na Oriente, Müller e Maria Marcolina encontrou a maioria das lojas fechada. A exceção foi o Largo da Concórdia.No Mercadão Municipal, o consumidor descobriu produtos mais caros e de melhor qualidade neste Natal. O gasto médio chegou a R$ 150, e o volume de vendas de produtos importados também cresceu. Cerca de 85 mil pessoas passaram pelo local ontem, o que complicou o trânsito na região, já habitualmente caótico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.