Concessionária testa asfalto feito com pneus velhos em SP

A concessionária Rodovia das Colinas iniciou hoje a aplicação de asfalto misturado com o pó obtido da borracha de pneus velhos em um trecho da Rodovia Santos Dumont (SP-75), no município de Itu, região de Sorocaba. A nova tecnologia poderá ser uma solução para o problema ambiental representado pelo descarte anual de cerca de 30 milhões de pneus usados no Brasil. Grande parte desse material - pelo menos 8,5 milhões de pneus, segundo cálculos de ambientalistas - é dispersada no meio ambiente. O chamado asfalto ecológico está sendo aplicado pela empresas Petrobrás e Sobrenco, em parceria com a concessionária. Segundo os técnicos, o novo material apresenta vantagens em relação ao asfalto convencional, pois tem maior flexibilidade e dura mais. Além disso, possibilita maior aderência aos pneus dos veículos e reduz o nível de ruídos. Segundo a assessoria de comunicação da Colinas, o material é estudado há mais de 40 anos nos Estados Unidos. À borracha triturada, são misturados o asfalto, diluentes e aditivos especiais. O material é aplicado quente, sob condições controladas. Os técnico observaram redução de até três vezes no número de trincas registrado no asfalto comum. Enquanto a pavimentação normal resiste à pressões de uso sem ceder num período de três anos, o asfalto-borracha leva até dez anos para apresentar defeitos. O uso de restos de pneus na pavimentação também foi testado recentemente, com bons resultados, pela concessionária SPVias, em um trecho da Rodovia João Mellão (SP-255), na região de Avaré.

Agencia Estado,

20 de março de 2003 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.