Concurso da polícia paulista agora exige curso superior

As novas regras do concurso das Polícias Civil e Militar exigem curso superior para os concorrentes às 862 vagas de investigador e 368 de escrivão no Estado de São Paulo. Serão aceitos qualquer curso superior, mesmo odontologia, filosofia ou letras.O velho estereótipo do tira com a camisa aberta e correntes de ouro estaria com os dias contados? Pessoas com vocação para a carreira estariam sendo privadas de uma chance de ingressar na Polícia Civil ou o nível do futuro policial compensaria a mudança? "Só o tempo vai nos mostrar as conseqüências da mudança da legislação", afirmou o diretor da Academia da Polícia Civil, delegado Eduardo Halage.Até agora, era exigido o nível médio completo dos candidatos a essas duas carreiras. A mudança da exigência enfrentou resistências dentro do governo e da própria polícia. A Assembléia Legislativa derrubou até o veto do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) para efetuá-la.Por enquanto não há prazo para que o novo concurso seja feito. Ele já foi aprovado pela Delegacia Geral da Polícia Civil mas aguarda decisão do governador. Atualmente, o salário de um investigador de polícia gira em torno de R$ 1.500.Os concursos das Polícias Civil e Militar estão entre os mais concorridos do Estado de São Paulo. Um exemplo foi a primeira fase da mais recente prova para delegados de polícia, com 18 mil inscritos para 184 vagas - 102 candidatos para cada cadeira na Academia da Polícia Civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.