Condenado cineasta que intermediou droga

A Justiça do Rio Grande do Sul condenou a três anos e seis meses de reclusão um cineasta por ter realizado, em abril de 2004, intermediação para que o ator Marcello Antony comprasse maconha de um traficante. Na época, o ator estava em Porto Alegre filmando o curta-metragem Lótus, dirigido por Cristiano Trein. Embora o Ministério Público Estadual não tenha divulgado o nome do cineasta condenado, informou que se trata do diretor do curta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.