Condenados acusados de matar menino em ritual de magia

O pai-de-santo Osvaldo Marcineiro, 43 anos, e o pintor Vicente de Paula Ferreira, 54 anos, que foram acusados da morte do garoto Evandro Ramos Caetano, de 6 anos em um ritual de magia negra em 1992, em Guaratuba, no litoral paranaense, foram condenados por um júri popular por homicídio triplamente qualificado. De acordo com o site do jornal Gazeta do Povo/Tudo Paraná, a sentença saiu às 21h de sábado, seis dias depois do início do julgamento. Os dois condenados deverão cumprir pena de 20 anos e dois meses de prisão cada um. O artesão Davi dos Santos, 42 anos, também foi condenado por homicídio, mas absolvido da acusação seqüestro. A pena deleé de 18 anos e quatro meses. O advogado dos acusados, Álvaro Borges Júnior, já afirmou que pretende recorrer da sentença equestiona a decisão do juiz. " O julgamento transcorreu dentro da normalidade, mas no final o juiz decidiu restabelecer a prisão preventiva dos acusados em plenário, sem nenhuma justa causa. Meus clientes já tinham direito à prisão domiciliar por ordem do Superior Tribunal de Justiça", explicou. "É uma decisão arbitrária, sem fundamento legal e passível de recorrer através de habeas corpus". O advogado deverá entrar com a apelação e com o pedido de habeas corpus nesta próxima semana. Em outro processo, também respondem pelo crime Celina e Beatriz Abagge, esposa e a filha do ex-prefeito de Guaratuba Aldo Abagge, que morreu em 1995. Alto era prefeito na época do assassinato. O Tribunal do Júri de São José dos Pinhais as absolveu em ab ril de 1998. A decisão foi anulada no ano passado.

Agencia Estado,

25 de abril de 2004 | 12h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.