Conferência define critério para o ''''Nobel'''' das cidades

Até sábado, especialistas internacionais vão se reunir em Porto Alegre para discutir temas ligados a metrópoles

Sérgio Duran, O Estadao de S.Paulo

12 de fevereiro de 2008 | 00h00

A Conferência Mundial sobre Desenvolvimento de Cidades, que começa a amanhã em Porto Alegre, definirá, até sábado, os critérios para uma espécie de Prêmio Nobel das cidades. O primeiro prêmio será lançado oficialmente em outubro, em Nanjing, China, no 4º Fórum Urbano Mundial da UN-Habitat, agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para questões de habitação e urbanismo.Cerca de 20 especialistas internacionais vão se reunir em Porto Alegre para discutir os parâmetros a serem adotados no prêmio, que, a exemplo do Nobel, será entregue de dois em dois anos. Segundo Cézar Busatto, coordenador da Conferência, uma obra de arte será especialmente confeccionada por algum artista plástico famoso para o município que vencer."A cidade vencedora assumirá o compromisso de criar mecanismos para compartilhar, com outros municípios, as práticas e conhecimentos que a fizeram se destacar", afirma. De acordo com Busatto, há critérios que vêm ganhando consenso entre os membros do comitê científico que estudará o prêmio, como a capacidade de inovação. "Será preciso que a cidade seja inovadora em suas práticas e não apenas repita o que vem sendo feito no mundo."Indicadores sociais como mortalidade infantil e materna, alunos matriculados na pré-escola, mortalidade de jovens, entre outros, terão peso, mas não são preponderantes. "É justamente o funcionamento do índice que classificará as cidades que será discutidos no evento."Ontem, a Conferência foi lançada em São Paulo, apesar de o encontro ser realizado em Porto Alegre. Na entrevista coletiva, estavam o prefeito Gilberto Kassab (DEM), o secretário de Estado da Justiça, Luiz Antonio Guimarães Marrey, e o representante da Unesco no Brasil, Vicent Defourny.Cada um discursou sobre a importância de se falar nas cidades uma vez que a população urbana cresce de forma veloz no mundo. Alguns dos principais especialistas internacionais em assuntos ligados à administração municipal estarão em Porto Alegre para oficinas e debates.Entre os debatedores de ontem, destacaram-se Oded Grajew, diretor do Instituto Ethos e do movimento Nossa São Paulo: Outra Cidade, e o diretor de Engenharia da Infraero, Severino Pereira de Bezerra Filho. "Nosso problema não é falta de recursos. Temos o suficiente para oferecer serviços e qualidade de vida compatíveis aos das grandes metrópoles do mundo", disse Grajew. Bezerra rebateu:"Os recursos não são tão grandes. Não temos o mesmo PIB desses países".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.