Confronto com policiais na Rocinha deixa pelo menos 7 mortos

Agentes do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE) chegaram na comunidade nesta quinta, 11

Talita Figueiredo, de O Estado de S. Paulo,

11 de março de 2010 | 15h43

RIO - Sete supostos traficantes morreram e uma adolescente de 13 anos ficou levemente ferida durante uma operação de policiais civis no início da tarde de ontem na Rocinha, na zona sul do Rio. O intenso tiroteio que causou pânico aos moradores aconteceu três dias depois da visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à favela, quando inauguraram uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e um complexo esportivo.

 

Por causa dos tiros as obra do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) foram suspensas. Alguns motoristas que trafegavam pelo Túnel Zuzu Angel e pela Auto Estrada Lagoa-Barra (que liga o Leblon a São Conrado, bairro nobre onde fica a Rocinha) ficaram apavorados e pararam seus carros. O trânsito ficou engarrafado grande parte da tarde.

 

A operação liderada pela Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) tinha como objetivo a prisão do chefe do tráfico local Antonio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, que não foi encontrado. A informação da polícia era que ele estaria em uma casa reunido com outros 20 bandidos. Parte deles seriam os homens que morreram na troca de tiros com a polícia.

 

Os homens foram levados para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, mas chegaram mortos à unidade. Uma adolescente foi levada para o mesmo hospital por ter sido ferida por estilhaços de tiros. Ela foi liberada pouco depois de ter ser atendida.

 

Participaram da ação mais de 80 homens de cinco delegacias especializadas - Polinter, Drae (Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos), Decod (Delegacia de Combate às Drogas)e DRFC (Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas). A operação contou ainda com o apoio de três helicópteros e dois caveirões (carros blindados).

 

No fim da ação, por volta das 18h, a polícia apresentou material apreendido na favela. Foram encontrados, facas, coletes, três pistolas, três fuzis, granadas e munição de vários calibres.

 

Caxias

 

Na favela Vila Ideal, em Duque de Caxias (Baixada Fluminense), três homens foram mortos por policiais militares durante uma troca de tiros. Com eles foram apreendidas duas pistolas e um revólver. À tarde, policiais militares em operação na favela Vila Operária, também em Caxias mataram Fausto da Silva, de 26 anos, identificado como chefe do tráfico de drogas na favela. Com ele, segundo a PM, foi aprendida uma pistola e 27 pedras de crack.

 

Notícia atualizada às 19h26

Tudo o que sabemos sobre:
Rocinha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.