Confronto termina com dois mortos e policial ferido no Rio

Dois supostos criminosos morreram e um policial militar ficou ferido de raspão no braço direito, durante confronto no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira, 18. Pela manhã, moradores fecharam a Estrada do Itararé em três pontos, ateando fogo em pneus e nos lixos, em protesto contra a ocupação por tempo indeterminado de soldados do Batalhão de Operações Especiais (Bope) nas favelas da Fazendinha e da Grota. A ação foi controlada por policiais militares do 16.º Batalhão (Olaria), que dispararam tiros para o alto, dispersando os manifestantes. No início da tarde desta quarta, mais de 50 motoboys da comunidade tentaram bloquear a Estrada do Itararé, entoando coros de "queremos trabalhar". A polícia interveio novamente. Por ordem do tráfico, as lojas não abriram as portas e vários colégios municipais e creches não funcionaram na região, prejudicando cerca de 8 mil alunos. Os ônibus que circulam pelas proximidades do complexo mudaram o trajeto. "Quem fecha as ruas são bandidos. Quem é de bem não faz isso", disse o comandante do Batalhão de Olaria, coronel José Luiz Nepomuceno.Ele informou que Adriano da Silva Araújo, de 23 anos, era soldado do Exército e tinha envolvimento com o tráfico. Baleado, Adriano foi levado para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha (zona norte), onde morreu. Um outro homem, não identificado, também não resistiu aos ferimentos. Há oito dias, o Bope ocupa o Complexo do Alemão para reprimir a venda de drogas. Os soldados cercam todos os acessos da área e usam quatro veículos blindados, mais conhecidos como Caveirões, nas operações. No sábado, três pessoas foram vítimas de balas perdidas no local.Dona Valquíria Moreira Gabriel, de 42 anos, foi atingida nas costas quando estava dentro da Igreja São Miguel. Marcelo Gil de Oliveira, 35, levou um tiro na virilha, na porta de sua residência. Já Jônatas Rodrigues de Almeida, 20, morreu ao ser ferido no peito, dentro de casa.O Complexo do Alemão está situado entre os bairros de Ramos, Olaria, Inhaúma e Bonsucesso, na zona norte da cidade, e tem como principal acesso a Estrada do Itararé. Formado por 12 favelas, o complexo abriga uma população estimada em 300 mil habitantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.