Confusão e morte em Penitenciária de Mirandópolis

Nove funcionários ficaram feridos em confronto com detentos da Penitenciária 1 de Mirandópolis, no interior de São Paulo, às 10h30 de hoje. Os agentes procuravam um túnel na cela 149. Os presos tentaram impedir a blitz. O buraco foi encontrado e teve início o tumulto. Os funcionários foram feridos a golpes de estilete e pedaços de ferro. Eles foram medicados no Hospital Municipal de Mirandópolis.Uma hora antes da confusão, os presidiários informaram que o colega Erlem José Silvestre, o Bomba, integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC), condenado a 137 anos, estava passando mal. Ele foi levado para o ambulatório, mas não resistiu. Há informações de que ele teria morrido de overdose. Após o confronto, 16 detentos foram transferidos para a Penitenciária 1 de Presidente Venceslau, no oeste do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.