Confusão em missa de um ano da morte de Uê na Candelária

Cerca de 20 pessoas que esperavam o início da missa por um ano de morte do traficante Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, provocaram um tumulto dentro da Igreja da Candelária, no Centro do Rio de Janeiro. Diante de fotógrafos e cinegrafistas que tentavam registrar suas imagens, eles derrubaram bancos da igreja e agrediram os profissionais. A polícia nada fez, porque estava do outro lado da rua. Pouco antes da confusão, o pároco da Candelária, Elia Volpi, havia dito que, para ele, não fazia diferença o fato de o homenageado ser um traficante. A celebração estava marcada para às 11 horas, mas ninguém da família do traficante ficou na igreja para assistir à missa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.