Confusão entre funcionários do Metrô Rio e usuários faz Alerj cobrar medidas

Deputado Marcelo Simão (PSB) pediu demissão dos seguranças por suposta agressão cometida contra rapaz

Solange Spigliatti, Central de Notícias

27 Abril 2011 | 12h42

SÃO PAULO - O presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), deputado Marcelo Simão (PSB), pediu a demissão de funcionários do Metrô envolvidos em uma confusão na tarde desta terça-feira, 27, na Estação de Botafogo.

 

Veja também:

video Assista ao vídeo da confusão no Metrô Rio

 

Um dos passageiros teria sido flagrado por volta das 17h30 de ontem tentado pular a catraca da estação, segundo informações dos seguranças. Por outro lado, os passageiros teriam dito que o rapaz usava o bilhete Riocard emprestado, o que é proibido. Houve empurra-empurra e os funcionários usaram da força para controlar a situação. De acordo com nota do Metrô Rio, o incidente está sendo apurado com rigor.

 

A concessionária ressaltou também que "Seus funcionários são treinados para agir em situações adversas adotando normas de conduta padrão de segurança, sem uso indevido de força". Segundo a nota, os agentes envolvidos no episódio serão chamados a prestar esclarecimentos para que medidas cabíveis sejam adotadas.

 

De acordo com a Alerj, o parlamentar já enviou requerimento à direção da concessionária Metrô Rio para que se explique sobre as agressões aos passageiros ocorridas na Linha 1 da via.

 

A empresa será convocada por Simão, ainda, para audiência pública que será realizada na próxima segunda-feira, 9, com o objetivo de detalhar o treinamento dos seguranças junto à população. "No meu entender, nesse episódio, ficou clara a falta de preparo deles para agir em situação de estresse", acrescentou o parlamentar.

Mais conteúdo sobre:
alerj metrô confusão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.