Congonhas ''''continua sendo uma armadilha''''

O gerente da Anac Gilberto Schittini afirmou ontem que a pista principal do Aeroporto de Congonhas "continua sendo uma armadilha". Para ele, a situação seria mais segura caso estivesse em vigor a norma que proíbe a operação de aviões com reverso inoperante em Congonhas. Com a ressalva de que "não há motivo para alarme", Schittini disse que o principal problema da pista principal, mesmo depois da reforma, é a falta de área de escape caso o piloto decida abortar a decolagem, numa emergência. "Se tiver abortivo de decolagem em alta velocidade, o avião termina fora da pista. A pista de Congonhas é pequena, um porta-aviões."A instrução da Anac, preparada antes da reforma da pista principal, concluída em 29 de junho, não fixava prazo para a restrição a aviões com reverso travado. Apesar da obra, a Infraero, estatal que administra aeroportos, liberou o uso da pista sem o grooving, ranhuras para escoar água. Ontem, a Infraero informou a deputados da CPI do Apagão que o grooving ficará pronto no dia 6.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.