Congonhas tem crescimento recorde de passageiros

O crescimento no número de passageiros no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, foi um dos maiores do mundo nos últimos quatro anos, o que em parte explica a crise no setor aéreo - qualquer pane no sistema local atinge todo o País. Dados obtidos pelo jornal Estado, elaborados pelo Conselho Internacional de Aeroportos e com divulgação prevista para esta terça-feira, 19, apontam que o aeroporto paulistano chegou a ter o maior crescimento no fluxo de passageiros entre os cem maiores em 2005 e só não repetiu o feito em 2006 por conta dos apagões posteriores ao acidente com o Boeing da Gol, em setembro.Apesar da crise aérea e de não contar com todos os dispositivos de segurança, Congonhas já é o 66º mais movimentado do mundo, ultrapassando Guarulhos. Em 2003, não estava entre os cem primeiros do ranking. Na América Latina, só fica atrás da Cidade do México (49º) e não tem rival na América do Sul. O setor exibe "taxas chinesas de crescimento". Em fevereiro, o movimento de passageiros no mercado doméstico foi 16% maior do que em igual mês de 2006. No acumulado do ano (janeiro e fevereiro), o crescimento já é de 14%. Especialistas temem a falta de avanço na parte estrutural.Segundo o conselho internacional, o aeroporto mais movimentado do mundo em 2006 foi o de Atlanta (EUA), com 84 milhões de passageiros, quase o mesmo número do total de passageiros internacionais em toda a América Latina. Em segundo vem Chicago (EUA), com 76 milhões, seguido por Londres, com 67 milhões de passageiros por ano. Mas em apenas poucos anos, o número de passageiros em Congonhas explodiu. Em 2005, por exemplo, enquanto outras pistas cresciam a uma taxa inferior a 4%, os paulistanos registravam recordes para toda a década - 26%. Em três anos, deixou para trás Osaka (Japão) e Shenzen (China). Em 2006, o crescimento foi mais uma vez superior à média internacional. Enquanto o fluxo de passageiros pelo mundo aumentou em 5,1%, o do aeroporto da capital ficou acima de 7,4%. O resultado foi que Congonhas, com a mesma estrutura de anos anteriores, ultrapassou o Aeroporto de Sapporo (Japão) e praticamente se igualou a Washington (EUA), Zurique (Suíça) e Xangai (China).CumbicaUm fenômeno diferente, porém, vem sendo registrado no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica. O aeroporto internacional era classificado como o 84º maior do mundo em 2004, acima de Congonhas e com 13,8 milhões de passageiros. Em 2006 teve um aumento de passageiros de apenas 1,6%, caindo para a 87ª posição. Em contrapartida, o aeroporto internacional passou a ser o 41º mais importante em termos de cargas. Mas a entidade internacional, com sede em Genebra, não deixa de destacar que a crise na Varig afetou toda a capacidade de crescimento do fluxo de carga na América Latina.Colaborou Mariana Barbosa

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.