Divulgação/Governo do Estado de SP
Divulgação/Governo do Estado de SP

Congresso aprova convite a Instituto Butantã e Anvisa para explicar suspensão de testes de vacina

Parlamentares querem realizar a audiência na sexta-feira com os presidentes das duas instituições

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2020 | 12h25

BRASÍLIA - A suspensão dos testes da vacina chinesa contra a covid-19 terá de ser explicada no Congresso. Uma comissão formada por deputados e senadores aprovou nesta quarta-feira, 11, um convite para os presidentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, e do Instituto Butantã, Dimas Covas, para esclarecer o episódio. A retomada das pesquisas foi autorizada na manhã desta quarta-feira pela agência federal.

Parlamentares querem realizar a audiência na sexta-feira, 13. Como Barra Torres e Covas foram convidados, eles não são obrigados a comparecer. Isso só aconteceria caso fossem convocados pelo Congresso. A comissão aprovou três requerimentos para realização da audiência após a Anvisa suspender os ensaios clínicos da Coronavac, testada contra a covid-19 pelo laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantã.

O episódio foi mais um capítulo da disputa política entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). A Anvisa argumentou que a decisão foi técnica após evento adverso grave envolvendo um voluntário - suicídio, conforme o Estadão apurou.

O Comitê Internacional Independente do estudo da Coronavac confirmou que a morte de um voluntário do estudo não teve relação com a vacina e recomendou a retomada da pesquisa. Além da suspensão, congressistas criticaram a postura do presidente Jair Bolsonaro no episódio. Nas redes sociais, o chefe do Planalto comemorou a paralisação dos testes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.