Felipe Rau/Estadão
Luiz Vicente Figueira de Mello, psiquiatra do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas  Felipe Rau/Estadão

Conheça os nove tipos de transtornos de ansiedade

Fobias específicas, como medo de altura ou aversão a sangue, são as categorias mais comuns relatadas

Raul Galhardi, Especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2019 | 06h00

Ficar preso no trânsito, falar em público, passar por uma entrevista para um novo emprego, paquerar, fazer compras. Esses são exemplos de situações cotidianas que para pessoas ansiosas podem constituir verdadeiros desafios. 

É preciso, entretanto, saber identificar os tipos de ansiedade existentes para que o tratamento adequado seja aplicado. Atualmente existem nove classificações, com um desdobramento, o ataque de pânico (palpitações, medo de morrer, calafrios, náusea), que, por ocorrer em várias situações, não foi categorizado isoladamente, explica Luiz Vicente Figueira de Mello, psiquiatra do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas

A seguir, confira os nove tipos, definidos pela Associação Americana de Psiquiatria:

Transtorno de Pânico

Caracteriza-se por ataques de pânico recorrentes ou inesperados. Pode ser desencadeado por um episódio, como o retorno ao local onde ocorreu uma crise, ou espontâneo, sem causa identificada. 

Agorafobia

Medo ou ansiedade exageradas em locais com muitas pessoas, como transportes públicos. A pessoa tem a sensação de desfalecimento e teme que não dê tempo de alguém socorrê-la. 

Fobias Específicas

Medo ou sintomas ansiosos intensos em relação a objetos ou situações, como altura, animais, fenômenos naturais, sangue, locais fechados. Esses são os tipos mais encontrados.

Transtorno de Ansiedade Social (fobia social)

Medo ou nervosismo acentuados em relação a situações sociais quando o indivíduo é exposto a possíveis ou imaginárias avaliações por outras pessoas.

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

Preocupações excessivas com atividades e eventos da vida cotidiana, ocorrendo na maioria dos dias, por pelo menos seis meses.

Transtorno de Ansiedade de Separação

Ocorre mais na primeira infância até o início da vida escolar. Consiste num sofrimento diante da ocorrência ou previsão de afastamento de casa ou pessoas próximas. 

Mutismo Seletivo

Fracasso persistente para falar em situações sociais específicas. A duração mínima é de um mês. De rara incidência. 

Transtorno de Ansiedade 

Induzido por Substância/Medicamento. O quadro predominante são ataques de pânico ou forte ansiedade com sintomas autonômicos; falta de ar e inquietação.

Transtorno de Ansiedade Devido a Outra Condição Médica

Tensão e ataques de pânico relacionados a uma patologia que pode ocorrer, com expectativa catastrófica. É mais comum após uma intervenção médica ou depois de procedimento que ponha em risco a vida da pessoa. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.