Consciência na estrada é a chave para salvar vidas
Conteúdo Patrocinado

Consciência na estrada é a chave para salvar vidas

Na Semana Nacional do Trânsito, EcoRodovias apresenta ações educativas a favor da segurança dos usuários

EcoRodovias, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

22 de setembro de 2020 | 00h00

O paradoxo da evolução das estradas é emblemático. Nas vias modernizadas, se crescem o conforto e a segurança dos usuários, aumentam também os abusos de velocidade – enredo que vai gerar mais acidentes e, como consequência, tirar a vida de milhares de pessoas.

O que muitos motoristas não consideram é que 90% dos acidentes que ocorrem nas rodovias, segundo levantamento recente do Observatório Nacional de Trânsito, são provocados por falhas humanas. São frutos da desatenção ao volante, o que significa que eles poderiam ter sido evitados.

Como essa é uma situação que pode ser mudada, a EcoRodovias vai aproveitar a Semana Nacional de Trânsito, comemorada entre os dias 18 e 25 de setembro, para reforçar a importância da segurança viária aos seus usuários. “Nós temos uma forte cultura de segurança. Nossos centros de controle, que monitoram as estradas 24 horas por dia, estão sempre analisando qualquer eventual ponto crítico. Cuidar da segurança é uma rotina para nós”, afirma Alberto Lodi, diretor de Concessões Rodoviárias Federais da EcoRodovias. “Mas, sem dúvida, o grande problema costuma ser a imprudência”, diz o executivo.

Segundo números de nove concessionárias da EcoRodovias que operavam em 2019, a colisão traseira é o tipo de acidente mais comum. Em todo o ano passado, foram contabilizados 4.373 acidentes desse tipo, o que representa 28% das ocorrências nas nove rodovias administradas pelo grupo. A décima começou a operar em janeiro.

Além do site www.ecorodovias.com.br/semacidentes, que conta com vídeos, artigos e podcasts sobre segurança viária, e publicações em mídias sociais, haverá também ações nas próprias estradas para enaltecer a segurança de todos.

Na Ecosul, por exemplo, que engloba a região de Pelotas (RS), dois simuladores vão funcionar no Shopping Pelotas durante a Semana Nacional de Trânsito. Um deles simula o impacto que um choque em baixa velocidade provoca na pessoa que não estiver usando o cinto de segurança. O outro simula um capotamento. Na Eco135, em Minas Gerais, haverá uma série de lives com especialistas e autoridades para discutir a segurança viária. Já a Eco101, no Espírito Santo, realizará várias atividades com a Polícia Rodoviária Federal voltadas para conscientizar condutores de motocicletas, carros e caminhões.

 Atropelamentos são sempre mais letais

Apesar de não serem representativos no conjunto total de acidentes, os atropelamentos preocupam, porque eles costumam ser muito letais. Em 2019, esse tipo de ocorrência tirou a vida de 119 pessoas nas estradas administradas pela EcoRodovias. Isso representa 30% do total de óbitos registrados pelas concessionárias do grupo no mesmo período.

As mortes costumam ocorrer nas proximidades de regiões urbanas, muitas vezes em travessias fora das passarelas. “Por ser algo tão sério e possível de se evitar, queremos levar uma mensagem de reflexão para o maior número possível de usuários”, afirma Rui Klein, diretor de Concessões Estaduais do Grupo EcoRodovias.

O caso da Ecovias, que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes em São Paulo, é significativo. Mesmo tendo uma das maiores densidades de passarelas do País (são 60 num trecho de menos de 180 quilômetros), os atropelamentos são responsáveis por 37% do total de mortes. “A maioria dessas ocorrências (60%) ocorre a menos de 500 metros de uma passarela. Ou seja, poderiam ser evitadas”, diz Klein.

Durante a Semana Nacional de Trânsito estão previstas ações educativas direcionadas exclusivamente para os pedestres em alguns Estados do Brasil. Uma delas serão os cafés nas passarelas. Eles vão ocorrer, por exemplo, na Ecocataratas e na Ecopistas, concessionárias que também registram muitos atropelamentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.