Conselho de Teólogos defende Renascer e critica legislação

O Conselho Federal de Teólogos (CFT) divulgou um comunicado nesta sexta-feira em que defende o casal de fundadores da Igreja Renascer, Sonia e Estevam Hernandes, e critica a legislação brasileira, que "torna as igrejas um praticante do crime da evasão de divisas". A organização, que diz representar cerca de 735 mil líderes religiosos no Brasil, diz na nota que "não defende apenas a Renascer, como todos os líderes religiosos do País, que não possuem parâmetros legais para enviar ofertas a missionários no exterior?. No texto, o presidente do conselho, Valter Filho, afirma ainda que as Igrejas de um modo geral não têm respaldo na Constituição para manter financeiramente os enviados a outros países. O casal foi preso dia 9 de janeiro no aeroporto de Miami ao tentar entrar no país com dólares escondidos na bagagem. O casal havia declarado U$ 10 mil de um total de US$ 56,5 mil às autoridades alfandegáriasLeia a íntegra da nota do Conselho Federal de Teólogos:Na manhã desta sexta-feira a presidência do Conselho Federal de Teólogos - organização que representa cerca de 735 mil líderes religiosos no Brasil - se pronunciou em relação ao caso Renascer em Cristo, que nos últimos dias vem ganho citações na mídia. O Conselho defende não apenas a igreja como todos os líderes religiosos do Brasil, que não possuem parâmetros legais para enviar ofertas a missionários no exterior.O presidente do CFT, Valter Filho, comentou que as igrejas não possuem respaldo na constituição para manter financeiramente enviados ao exterior, tornando um praticante do crime de evasão de divisas. Valter lembra ainda que em 1991 o então vice-governador de São Paulo, Farias Lima, já previa que esta falha constitucional poderia causar sérios problemas para as organizações religiosas instaladas no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.