Conselho quer aumentar a segurança dos turistas no Rio

Estado, prefeitura e iniciativa privada se uniram para melhorar a segurança oferecida aos turistas que vêm ao Rio. Hoje foi apresentado o Conselho Turístico de Qualidade Urbana e Segurança, responsável por funções como replanejar o policiamento da zona sul, em especial o da orla marítima, iluminar mais as vias, coibir a ação de ambulantes e traficantes de drogas e acolher a população de rua. Um projeto piloto já está sendo implantado com sucesso em Copacabana, bairro que registra o maior número de ocorrências - somente a Avenida Atlântica concentra metade dos roubos cometidos contra turistas no Rio. Em um mês, os assaltos foram reduzidos em 75% com a ação de policiais a paisana na areia. O efetivo que vai atuar do Leme até a Praia do Pepino será de 450 pessoas. A área do estádio do Maracanã também está nos planos do conselho. O treinamento de policiais civis e militares, com ênfase no aprendizado de línguas estrangeiras, receberá atenção especial. Para o conselho, é importante ainda que os telefones públicos tenham informações bilingües. Um quiosque da Riotur será montado no Posto 6, em Copacabana, para que os turistas possam se informar sobre a cidade. O conselho é formado por secretarias estaduais e municipais, associações que lidam com o turismo, representantes de bares e restaurantes, Juizado de Menores, Guarda Municipal e Polícia Federal. O grupo vai se reunir mensalmente para avaliar se o trabalho está dando certo.CâmerasOs comerciantes do bairro esperam ainda que comecem a funcionar oito câmeras instaladas em hotéis de Copacabana, que vão gravar imagens do calçadão e da areia. As imagens serão monitoradas por policiais militares, que poderão identificar com facilidade os assaltantes que agem no local. O sistema é o mesmo implantado pela polícia de Londres.Os aparelhos ainda não foram ligados porque isso depende de convênio com a Telemar, empresa para a qual o governo do estado está devendo dinheiro. O secretário de Segurança Pública, Roberto Aguiar, disse que a dívida está sendo negociada para que eles passem a funcionar. Ipanema e Leblon já têm câmeras, uma em cada praia, também desligadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.