Conselho vai denunciar ao MP posto onde idosa morreu por erro de estagiária

Técnicos fizeram uma vistoria no local e verificaram a existência de irregularidades

Agência Brasil,

23 Outubro 2012 | 14h13

RIO DE JANEIRO- O Ministério Público Estadual (MP) deve receber amanhã (23) um relatório do Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ) com denúncia sobre a situação Posto de Atendimento Médico (PAM) do município de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, onde Palmerina Pires Ribeiro, 80 anos de idade, morreu após ter recebido café com leite na veia, aplicada pela estagiária Rejane Telles, 23 anos. Era o terceiro plantão de Rejane no PAM de São João de Meriti.

Nesta segunda-feira,21, técnicos do Coren-RJ fizeram uma vistoria no local e verificaram a existência de irregularidades. Durante a visita, a equipe constatou no plantão apenas uma enfermeira e nove técnicos de enfermagem para atender cerca de 70 leitos, além dos pacientes do setor de emergência.

De acordo o presidente do Coren-RJ, Pedro de Jesus Silva, os problemas administrativos da unidade estão ligados à ocorrência de erros. "A gestão não está fazendo valer o que determina a Constituição Federal. Saúde é direito de todos e é dever do Estado. O quadro de enfermagem tem que dar atenção integral à população, algo impossível de ser feito com o quantitativo mínimo hoje existente naquele posto. O esvaziamento da enfermagem do local é um crime contra a comunidade", disse.

Silva também declarou que o conselho ainda não conseguiu fazer uma apuração definitiva do caso para iniciar a sindicância devido à falta de documentação, como o prontuário do paciente e o livro de ordens e ocorrências. O acesso aos documentos foi negado pela Secretaria de Saúde de São João de Meriti. Em função disso, o Coren-RJ entrou na Justiça com uma ação civil pública contra a secretaria, ajuizada na 4ª Vara Federal no município.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.