Consórcio pedirá ao Bird mais prazo para concluir Linha 4

Os integrantes do Consórcio Via Amarela vão solicitar ao Banco Mundial (Bird) a extensão do prazo para a entrega das obras da Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo. A decisão foi tomada na quinta-feira, 15, depois do encontro que firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para definir medidas a serem tomadas pelas empresas para garantir a segurança nas 23 frentes de trabalho em andamento. O Banco Mundial é co-financiador do projeto junto com o Banco Japonês para a Cooperação Internacional (JBIC). Cada um liberou para o governo paulista US$ 209 milhões, o equivalente a R$ 438,9 milhões. O Consócio vai pedir ao Bird pelo menos 34 dias, tempo mínimo previsto para que sejam concluídas as vistorias que serão atestadas pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) antes das obras serem retomadas. Em uma das cláusulas do TAC, o Metrô se comprometeu a não considerar infração contratual o atraso na entrega das estações fora do prazo. Por conta do desastre na Estação Pinheiros, o cronograma deve atrasar pelo menos seis meses. A previsão anterior era de conclusão da primeira etapa em dezembro de 2008. O atraso se deve tanto ao acordo firmado junto ao Ministério Público, de interrupção dos trabalhos para vistorias, como pelo prazo de conclusão da perícia técnica realizada por Instituto de Criminalística (IC) e IPT. A estação desabou em 12 de janeiro, matando sete pessoas. Tais atrasos também podem levar o governo do Estado a arcar com pesadas multas. O contrato de Parceria Público-Privada (PPP) para a exploração da Linha 4, assinado em 29 de novembro entre o governo paulista e Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR), prevê multa mensal de R$ 5,3 milhões em caso de descumprimento do cronograma. O prazo de carência para a aplicação da penalidade é de três meses. Estão previstas seis estações na Linha 4. Caso alguma deixe de operar no prazo previsto, poderá haver desequilíbrio financeiro do contrato. Pelo projeto de concessão, estão previstos 704 mil passageiros por dia na linha; sem a Estação Pinheiros, esse número cai.

Agencia Estado,

16 Fevereiro 2007 | 08h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.