Marcelo Camargo/ Agência Brasil
Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Consórcio que gere DPVAT é dissolvido após saída de seguradoras

Assembleia ocorreu nesta terça-feira, 24; Seguradora Líder afirma que será responsável por administrar os ativos, passivos e negócios do Consórcio até 31 de dezembro

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2020 | 22h38

O consórcio que gere o Seguro DPVAT, o seguro obrigatório de veículos, foi dissolvido em uma assembleia realizada nesta quarta-feira, 24. A reunião ocorreu após o anúncio de saída de 36 seguradores integrantes do consórcio. Em nota, a Seguradora Líder afirma que será responsável por administrar os ativos, passivos e negócios do Consórcio e Seguro DPVAT realizados somente até 31 de dezembro de 2020.

No ano passado, o governo do presidente Jair Bolsonaro editou uma medida provisória para extinguir o seguro DPVAT. Desafeto do presidente da República, o deputado Luciano Bivar (PSL-PE) é o controlador e presidente do conselho de administração da seguradora Excelsior, uma das credenciadas pelo governo para cobertura do seguro DPVAT. A empresa intermediou o pagamento, de janeiro a junho de 2019, de R$ 168 milhões em indenizações relacionadas ao seguro, segundo relatório de auditoria da Líder DPVAT. 

A medida provisória perdeu a validade em abril deste ano e a cobrança do DPVAT continuou ocorrendo em 2020. Não houve acordo entre os parlamentares. O DPVAT é pago todos os anos por proprietários de veículos e indeniza vítimas de acidente de trânsito.

Tudo o que sabemos sobre:
DPVAT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.