Consórcio responsável pela linha 4 reitera apoio às vítimas

O Consórcio Via Amarela, em comunicado enviado para a imprensa nesta segunda-feira, 15, informou que, em conjunto com o Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Metrô, trabalha desde a última sexta-feira "na remoção dos escombros visando a retirada de pessoas desaparecidas no acidente" na obra da futura Estação Pinheiros.Segundo o informe, o consórcio, integrado pelas empresas Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Camargo Correa e Andrade Gutierrez, disponibilizou 350 pessoas, seis retroescavadeiras, quatro guindastes hidráulicos e uma frota de caminhões para tentar "encontrar pessoas desaparecidas sob 32 metros de escombros".A nota também lamenta a morte da aposentada Abigail Rossi de Azevedo, de 75 anos, cujo corpo foi encontrado nesta segunda soterrado sob os escombros. O consórcio informa ainda que "montou um acampamento no local do acidente para que os familiares das pessoas desaparecidas possam acompanhar os trabalhos de busca". A Via Amarela acrescenta que as famílias que "tiveram que deixar suas casas, interditadas pela Defesa Civil, foram acomodadas pelo Consórcio Via Amarela (...) em quatro hotéis" e finaliza dizendo que ressarcirá os prejuízos enfrentados pelos moradores da região.Leia abaixo a íntegra da nota:"O Consórcio Via Amarela , integrado pelas empresas Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Camargo Correa e Andrade Gutierrez, comunica que, ao lado do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e do Metrô, vem trabalhando ininterruptamente na remoção dos escombros visando a retirada de pessoas desaparecidas no acidente ocorrido na última sexta-feira (12/01), na obra da futura Estação Pinheiros.O Consórcio trabalha desde o início do resgate, há 72 horas, com um efetivo de 350 homens em turnos alternados, 24 horas por dia. Essas equipes contam com o auxílio de seis retroescavadeiras, quatro guindastes hidráulicos para mais de 100 toneladas e uma frota de caminhões que já realizou 1.200 viagens removendo terra e entulho.A prioridade é encontrar pessoas desaparecidas sob 32 metros de escombros. As equipes do Consórcio Via Amarela e do Corpo de Bombeiros trabalham com extrema cautela uma vez que a instabilidade do terreno representa ameaça constante aos homens envolvidos no trabalho.O Consórcio Via Amarela lamenta informar que na madrugada de segunda-feira, dia 15/01, foi encontrado o corpo de uma das vítimas, a aposentada Abigail Rossi de Azevedo. Seus familiares já haviam sido contatados por uma equipe do Serviço Social do Consórcio, que tomou todas as providências necessárias.O Consórcio Via Amarela informa ainda que montou um acampamento no local do acidente para que os familiares das pessoas desaparecidas possam acompanhar os trabalhos de busca. Todas as famílias estão cadastradas e acompanhadas diretamente por assistentes sociais do Consórcio. As famílias que tiveram que deixar suas casas, interditadas pela Defesa Civil, foram acomodadas pelo Consórcio Via Amarela, na sexta-feira, em quatro hotéis da região. O Consórcio assumiu o ressarcimento das despesas com refeições, compra de medicamentos, vestuário e transporte, além de garantir o atendimento médico na rede de hospitais conveniados ao Consórcio. Os imóveis interditados contam com vigilância contratada.Às famílias que tiveram suas casas danificadas pelo sinistro, o Consórcio assegura o justo ressarcimento dos prejuízos. O Consórcio Via Amarela reafirma total solidariedade e reitera seu compromisso de atendimento a todas as famílias atingidas. Consórcio Via AmarelaSão Paulo, 15 de janeiro de 2007"

Agencia Estado,

15 de janeiro de 2007 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.