Constituinte é para desviar atenção da corrupção, diz Alckmin

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, disse nesta quinta-feira, 3, que a proposta do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição, de convocar uma Assembléia Nacional Constituinte tem por objetivo "desviar o tema da corrupção" em seu governo.Lula defendeu na quarta-feira, 2, a convocação, após as eleições, de uma nova Constituinte para fazer a reforma política. Já não basta um Congresso, vai ter dois para fazer uma reforma política? Mas que reforma é essa? Isso é para desviar o tema da corrupção. Só pode ser, porque é tão sem sentido isso", afirmou Alckmin ao desembarcar em Belo Horizonte, no Aeroporto da Pampulha.O tucano voltou a comentar a aprovação, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, do projeto que acaba com a reeleição para presidente da República, governador e prefeito. Ele sugeriu que já não impõe mais obstáculos à medida, mas defendeu a manutenção do mandato de quatro anos. "Mandato de cinco anos, você vai ter eleição todo ano", observou. "Isso não é bom para o Brasil. Quatro anos dá para fazer um bom mandato". Em seguida, concluiu: "Sem reeleição e com bons serviços à população".Alckmin considera que sua campanha vai muito bem e cresce em Minas com o apoio do governador Aécio Neves (PSDB). Ele destacou a adesão do ex-presidente Itamar Franco (sem partido). "Até os adversários reconhecem a sua probidade, fez um governo impecável sob o ponto de vista ético. Isso repercutiu no Brasil inteiro".Alckmin, Aécio, Itamar e o presidente nacional do PSDB, Tasso Jereissati, participarão, na capital mineira, do seminário "Renovar Idéias: o desafio de uma saúde de qualidade", promovido pelo Instituto Teotônio Vilela, em parceria com a Executiva Nacional do partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.