Constrangimento

É uma vergonha o que ocorre com o sistema Sem Parar. Minha sogra tem o aparelho e, apesar de estar tudo quitado, ela foi parada três vezes por constar no sistema do pedágio da Dutra, no Arujá, a falta de pagamento. Ela teve de pagar o pedágio mesmo mostrando o extrato impresso do próprio Sem Parar de que estava tudo certo. Ou seja, mesmo pagando uma taxa mensal de R$ 10,90, que é cobrada pelo serviço Sem Parar, ela ainda teve que parar e pagar o pedágio. Qual a função do Sem Parar, então? Fora o constrangimento de ser parado com o alto sinal sonoro. Quando questionados sobre o porquê de ter de pagar o pedágio, os funcionários da CCR dizem não ter ligação com o Sem Parar, mas o engraçado é que para receber o dinheiro eles têm. Além disso, é inacreditável o descaso e a falta de respeito dos funcionários da CCR. No dia 24/12, por volta de 18h35, cerca de 10 carros foram parados na mesma situação. E ninguém resolve nada. O próprio pedágio não é de responsabilidade da CCR? Eles ficam no pedágio oferecendo o aparelho gratuitamente por 30 dias, mas as pessoas não sabem dos transtornos que terão.RUTH OLIVETTI PRADOSão PauloO gerente de Atendimento ao Cliente Sem Parar/ Via Fácil, Bartolomeu Corrêa, esclarece que na data referente ao ocorrido no pedágio, o aparelho estava bloqueado por causa do retorno bancário de fatura com vencimento em 15/12. Houve emissão de aviso de cobrança em 17/12, informando o retorno negativo e o risco de bloqueio. A cliente entrou em contato com a empresa em 27/12 e a fatura foi liquidada e o sistema liberado para utilização em 6/1.Multa à reveliaEm matéria do Caderno Cidades/Metrópole (26/12), há a declaração do major Mewton Michelazzo, do 1.º Batalhão da Polícia Militar Rodoviária, que me envergonha. Ele anuncia a aplicação de multa à revelia por meio de policiais com binóculos em passarelas e acostamentos. Com a maior naturalidade, ele diz que o motorista só saberá que foi multado quando a notificação chegar pelo correio. Será que ele não imagina que o motorista infrator fará toda a viagem de ida e volta cometendo as mesmas barbaridades, pondo vidas alheias em risco? Imagina esse oficial que a placa anotada pode ser falsa, irregular ou clonada? Já parou ele para pensar que um carro abordado para receber multa (com a devida verificação de documentos e das condições mecânicas) é visto por dezenas ou centena de outros motoristas e serve como exemplo de como o Estado zela pelo cumprimento da lei?SERGIO ARAKI YASSUDASão PauloA Assessoria da Polícia Militar do Estado de São Paulo informa que a autuação à revelia do motorista é uma prática utilizada pela Polícia Militar Rodoviária, com previsão legal no Código de Trânsito Brasileiro, para situações em que a parada do veículo pode gerar acidente ou prejuízo à fluidez do trânsito. Neste caso, o contato direto do policial com o usuário pode estabelecer um ponto de curiosidade para os outros motoristas e é nesta pequena distração que o acidente pode ocorrer. A autuação à revelia é a exceção. As autuações lavradas pela Polícia Militar Rodoviária, tanto as que são confeccionadas com o contato direto com o motorista, bem como as elaboradas à revelia, têm o objetivo de reeducá-lo e, ao mesmo tempo, orientá-lo sobre a forma correta de se portar no trânsito, porém não é a principal função, que é "a defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa humana", esclarece.Bolo de aniversário Com relação à falta de patrocínio para o bolo do aniversário de São Paulo, se for para assistir àquela cena revoltante e selvagem do povo vândalo e sem educação avançando e depredando todo o bolo - se pelo menos fosse para comer -, então é preferível não ter comemoração alguma.MARIA HELENA PIOVESANSão PauloO aniversário da cidade de São Paulo se aproxima. No dia 25 de janeiro, a cidade de São Paulo vai completar 455 anos. Nas comemorações, sugiro que, se houver bolo, ele deveria ser servido individualmente, de maneira organizada, dando uma grande demonstração de civismo e generosidade. Mais uma vez, abaixo à selvageria e viva a educação para São Paulo e o Brasil!MONSUETO DE CASTROMogi das CruzesRevolta Meu apoio ao leitor Bob Sharp que criticou a absurda inspeção de veículos determinada pela Prefeitura e enfiada pela goela abaixo do contribuinte (9/1). Esperamos providências do Ministério Público Estadual!NELSON AZEVEDOSão PauloAs cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

, O Estadao de S.Paulo

16 de janeiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.