Cônsul chinês acredita que morte do comerciante será apurada

O cônsul-geral da República da China, Li Zhongliang, afirmou, após reunião com a governadora Rosinha Matheus e secretários, no Palácio Guanabara, que confia no trabalho do governo brasileiro para apurar as circunstâncias da morte do comerciante chinês Chan Kim Chang, ontem à noite, no Hospital Salgado Filho. Zhongliang disse que ficou surpreso com a morte do Chang e avaliou que este caso não deveria acontecer nem com ele, nem com um brasileiro. Segundo o cônsul, o incidente não vai afetar as relações da China com o Brasil. Ele informou também que ainda não foi procurado pela família de Chang, que era brasileiro naturalizado. Li Zhongliang afirmou que respeita as leis do Brasil e garantiu que não vai intervir em assuntos internos. O cônsul disse que está muito triste com a morte do chinês. Chang foi preso no dia 25 de agosto por policiais federais, no Aeroporto Internacional do Rio, e levado para uma prisão do estado, onde foi encontrato inconsciente. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.