Consulado dos EUA em SP não vai abrir amanhã

O consulado dos Estados Unidos em São Paulo decidiu não abrir amanhã, data que marca o primeiro aniversário dos atentados de 11 de setembro. Alegando que a decisão foi tomada por "motivo de precaução", o consulado cancelou inclusive a cerimônia fechada, prevista para as 8h30, em que o cônsul discursaria. A embaixada dos EUA em Brasília informou que, pelo menos até o início da tarde, não havia circulado qualquer comunicado alterando seu horário de funcionamento nesta quarta-feira.O consulado de São Paulo manteve as atividades já programadas para marcar a data, que acontecem fora do prédio. Às 9h, será realizado na União Cultural Brasil-EUA um debate sobre os atentados. Participarão do encontro o capitão Daniel Daly, do Corpo de Bombeiros de Nova York, que integrou as equipes de resgate das vítimas; o rabino Henry Sobel; o xeque Jihad Hassan Hammadeh; o padre Júlio Lancelotti e o repórter César Tralli, que cobriu os ataques às torres do World Trade Center. Na ocasião será aberta uma exposição de 35 pôsteres com as principais fotos dos ataques publicadas pela imprensa internacional e de trabalhos artísticos feitos por alunos da UCBEU.Às 11h15, será realizada na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo uma cerimônia em memória das vítimas de 11 de setembro. O capitão Daly, do Corpo de Bombeiros de Nova York, e o cônsul-geral americano, Patrick Duddy, também participarão. Na ocasião falará o presidente da Assembléia, deputado Walter Feldman. Serão executados os hinos nacionais do Brasil e dos EUA.Na quinta-feira, dia 12, a Associação Viva o Centro prestará homenagemàs vítimas dos atentados em cerimônia que terá lugar às 11h no Pátio do Colégio. Participará do evento a Banda do Corpo de Bombeiros. O comandante do Corpo de Bombeiros, e representantes do governo do Estado, da Associação Viva o Centro e do Consulado dos Estados Unidos falarão na ocasião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.