Consultor: carnaval depende de controladores e meteorologia

O especialista em aviação, André Castellini, da consultoria Bain & Company, afirmou nesta quinta-feira que o bom andamento nos aeroportos do País durante o feriado prolongado do carnaval depende do controle de tráfego aéreo, tanto controladores quando equipamentos, e também da meteorologia. Segundo Castellini, as empresas aéreas estão preparadas para um fluxo maior de passageiros e, ainda, se preparam para possíveis problemas. "As companhias aéreas já ampliaram as próprias malhas aéreas, reforçando suas operações, e estão com uma malha bem robusta, até mesmo com número maior de pilotos para operar aviões reservas", afirma. Entretanto, ressalta o especialista, essa estrutura agüenta até um certo ponto de problemas. "Se houver um nível alto de dificuldades com o controle de tráfego aéreo (pessoal e equipamentos) ou condições meteorológicas ruins, que obriguem fechar aeroportos, por exemplo, as companhias aéreas não têm muito o que fazer", conta, atentando para o fato de que nesta quinta-feira o aeroporto internacional de Congonhas, na zona sul da capital paulista, foi obrigado a fechar quatro vezes. Com relação à reunião que acontece na tarde desta quinta-feira na Fundação Procon-SP, na capital paulista, entre órgãos de defesa do consumidor, companhias aéreas e representantes do Ministério Público, Castellini diz não estar inteirado do que de fato será discutido. "Devem falar sobre os planos para o carnaval", acredita. Para o especialista, por não ter como prever o que irá ocorrer no controle de tráfego aéreo durante o feriado, resta torcer para que, pelo menos, não chova. "Principalmente nos períodos da tarde e noite de sexta-feira (16) e na manhã de sábado (17), e também entre terça à noite (20) e todo o dia de quarta-feira (21). Essas datas são as mais críticas, com alto volume de passageiros", avalia.

Agencia Estado,

08 Fevereiro 2007 | 14h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.