Consumo consciente

Em tempos de crise, os orgânicos ganham cada vez mais espaço

Adriana Carranca, O Estadao de S.Paulo

25 de abril de 2009 | 00h00

Em tempos de aquecimento global e da bandeira anticonsumo para salvar o planeta do desperdício, preservar o meio ambiente se tornou, ironicamente, objeto de desejo. Os chamados orgânicos, antes restritos a alimentos produzidos sem agrotóxicos, agora estão em cosméticos, sapatos, roupas e jogos de cama, mesa e banho de algodão cultivado sob os mesmos princípios. Grandes marcas, como Adidas, Mizuno, Timberland e Osklen lançaram linhas com o apelo ambientalmente correto, feitas de materiais como PET e pneu reciclado. "Nem todos os produtos são realmente ecológicos. Mas, ainda que seja pelo marketing, essa onda traz o benefício de colocar a preservação do meio ambiente na pauta do consumidor. E ele começa a fazer melhores escolhas", diz a gerente de Operações do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente, Heloísa Torres de Mello. "Consumir de forma consciente não quer dizer não consumir."A Eden, na Vila Madalena, abriu as portas com 100% da coleção certificada pelo Instituto Bio Dinâmico e a Natural Organic Association, dois dos órgãos certificadores. Já Consul e Electrolux prometem ajudar o consumidor a gastar menos energia e água. Para a casa, há ainda móveis de fibra natural ou madeira de demolição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.