Contador aponta novo envolvido

O contador Antonio Carlos Atella, envolvido na violação do sigilo fiscal de Verônica Serra e Alexandre Bourgeois, apontou novo personagem na trama: Arão Queiroz. Ex-detento - cumpriu pena de três anos por estelionato -, Queiroz trabalha nas cercanias da Junta Comercial, oferecendo serviços de despachante. Atella disse que ele teria participação no episódio.

Fausto Macedo e Bruno Tavares, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2010 | 00h00

Queiroz admitiu que conhece Atella e Ademir Cabral, contador e office boy que também está sob suspeita. Disse que já "fez serviços" para ambos, mas negou ter falsificado as procurações em nome de Verônica e de Alexandre, que hoje serão ouvidos pela Polícia Federal.

Ontem, a servidora do Serpro Ana Maria Caroto Cano negou à PF ter sido instruída pela Corregedoria da Receita a "esquentar" acessos não autorizados a dados fiscais. Seu marido, o contador José Carlos Cano, foi citado pelo metalúrgico aposentado Edson Pedro dos Santos. Segundo Santos, o contador lhe pediu que assinasse procuração retroativa.

A analista tributária Antônia Aparecida Neves admitiu à PF que emprestou sua senha para duas servidoras do Serpro. O motivo, justificou, foi o volume excessivo de demandas e atendimento de grande número de requisições judiciais. O advogado Rafael Nobre disse que "Antônia nunca desconfiou que sua senha pudesse ser usada para violar sigilo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.