Contador dá golpe com ações da Telesp e é preso

O contador Ademário Araújo, de 65 anos, foi preso no fim da tarde desta quarta-feira no Núcleo de Serviços do Banco Real, na Rua Boa Vista, no centro de São Paulo. Ele é acusado de ter falsificado documentos para receber R$ 81.300,00 pela venda de um milhão de ações da Telesp que pertenceriam ao advogado José Gonçalves Rolim. A polícia acredita que Araújo faz parte de quadrilha que, há alguns anos, com procurações e documentos falsos, vem resgatando ações da companhia e recebendo o dinheiro da venda em leilões. "As pessoas só ficam sabendo que foram lesadas quando tentam resgatar as ações", explicou o delegado Manoel Camassa, responsável pela investigação. Uma suspeita do Banco Real permitiu à polícia a prisão de Araújo. Com duas procurações falsas, ele solicitou o resgate das ações de Rolim e de outro assinante da Telesp, Deraldo Barbosa Cerqueira, no valor de R$ 45 mil. Segundo Camassa, no começo da semana passada, Rolim foi contatado e ficou surpreso com a notícia da procuração, autorizando a venda das ações. "Ele mostrou-se categórico, e nós não tivemos dúvida de que era um golpe." Ao ser autuado em flagrante, no Departamento de Investigações Sobre Crimes Patrimoniais (Depatri), por falsificação de documento público, tentativa de estelionato e uso de documento falso, Araújo alegou que recebera as procurações de um homem de quem não sabia o nome. Ele destacou que deveria depositar o cheque numa conta em um banco dos Jardins e iria receber uma gratificação. "Ele mente e não está sozinho", rebateu o delegado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.