Continua busca a assaltantes que saquearam bancos no Pará

A Polícia Militar do Pará fechou todas as saídas do sul do Estado para impedir que os trinta bandidos que ontem assaltaram duas agências bancárias da cidade de Redenção consigam atravessar a divisa com os Estados do Tocantins e Mato Grosso. Ninguém ainda foi preso, embora cerca de 80 homens do Comando de Missões Especiais da PM e da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado, de Belém, estejam vasculhando estradas e fazendas da região. No final desta manhã, a PM encontrou abandonadas nas estradas duas picapes utilizadas no assalto e que serviram para a fuga dos bandidos. O primeiro veículo estava na Rodovia BR-158, distante 70 km da cidade de Santana do Araguaia. O outro estava no acostamento da PA-150, em direção ao município de Santa Maria das Barreiras. Oito das mais de vinte pessoas feridas no tiroteio durante o assalto ainda continuam internadas em hospitais de Redenção. Leandro da Silva Peixoto, um dos reféns feridos, foi transferido para Araguaína (TO) onde será operado para extração de uma bala de sua perna.A gerência do banco HSBC em Redenção informou que os bandidos conseguiram levar R$ 45 mil em dinheiro, além de pertences de funcionários e clientes. O Banco do Brasil não informou quanto foi roubado da instituição.Em Belém, a presidente do Sindicato dos Bancários do Pará e Amapá, Vera Paoloni, prometeu que a entidade vai ingressar com uma ação no Tribunal de Justiça para permitir que funcionários de agências bancárias no Estado se recusem a trabalhar quando se sentirem ameaçados pela falta de segurança nos estabelecimentos. "Esse assalto em Redenção foi o limite. Não vamos mais permitir que nossos funcionários se exponham a tanta violência", afirmou Vera.O assalto em Redenção foi o 15º no Pará entre janeiro e maio deste ano. Dez deles aconteceram nas regiões sul e sudeste do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.