Continua rebelião em penitenciária de Franco da Rocha

O motim dos cerca de mil detentos do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, que teve início na noite desta segunda, dia 20, continua.Por volta das 7h30 desta terça, as negociações foram retomadas e 15 funcionários ainda permanecem reféns. Um agente penitenciário, que também era mantido refém, foi solto e teve ferimentos leves. Segundo a Secretaria das Administrações Penitenciárias (SAP), a tropa de choque está de prontidão no local. Há informações, ainda não confirmadas pela Secretaria, de que onze presos já foram transferidos para outros presídios.IperóOntem, os detentos da Penitenciária Odon Ramos Maranhão, em Iperó, no interior de São Paulo, também se rebelaram. Dois diretores e 20 agentes penitenciários foram feitos reféns. No início da noite, a Tropa de Choque da Polícia Militar de São Paulo invadiu o presídio e os reféns foram libertados. A operação deixou pelo menos 22 feridos - 15 presos e 7 agentes.Antes da entrada da PM, um preso deu entrevista pelo celular protestando contra os maus tratos de funcionários a detentos e contra as revistas consideradas humilhantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.